terça-feira, 31 de julho de 2007


terminado o half blood prince, jangada ainda à deriva, estou lendo a menina que roubava livros, de markus zusak. é um best-seller, mas (por enquanto) o é por merecer.

vários motivos tornaram este livro interessante pra mim. um: quem conta a história é a morte. dois: se passa na alemanha nazista. três: os maiores tesouros para a menina são livros.

gostaria de lê-lo no original, the book thief, mas a versão brasileira me saiu de graça então...

gosto de olhar a foto do autor na contracapa, de imaginar o dito cujo digitando e tomando chá ou café. fico imaginando como deve ser maravilhoso ser escritora. me vejo acordando cedo, tomando um gole de suco, dando comida e afeto aos gatos e indo pro yoga com uma roupa híper confortável. volto, como um cereal bem gostoso, tomo um banho com sais e cheiros, visto uma espécie de robe/kimono bem molinho mas com cara de arrumada e cosmopolita e vou pra algum ponto ensolarado do apartamento (em montreal? hong kong? nyc? rio?) ler blogs, notícias, ver vídeos ridículos no iutubiu, talvez escrever um pouco. levanto, preparo o almoço cheio de beringelas, gengibres e outras gostosuras. o telli acorda e a gente come e ri. ele poe a louça na máquina e sai pro trabalho/diversão. Eu troco de roupa e vou pra algum café/livraria com meu notebook fazer um pouco de people watching/character researching. Volto pra casa e digito feito louca com meu chazinho. páro e me alongo várias vezes, senão o telli me mata, aproveito pra observar os gatos. como algum quitute doce. enquanto o telli não chega leio alguma coisa bem boa numa poltrona über confortável. ele chega, a gente se arruma e sai pra jantar. um sushizinho, ou uma comida bem apimentada e depois a gente vai ao cinema ou namorar. ai ai. como eu sou linda, burguesa e feliz.

ok, mas o carinha da menina ladra de livros não combina nada com alguém que escreve sobre a alemanha nazista. é um cara bem jovem que mora em sydney. a vida dele deve ser mais interessante ainda. ele tem cara de quem bebe suco de clorofila ao invés de chá ou café.

Devaneios à parte, na contracapa diz o seguinte: Quando a Morte conta uma história, você deve parar para ler.

parei

3 comentários:

Telli disse...

tlovesj

luiza disse...

esse livro me atrai mto!
principalmente pelo título... acho q eu seria uma livro-cleptomaníaca sim!roubar por um prazer altamente saudável não deveria ser crime num mundo perfeito.. hahahahaha perfeito seria se livros fossem de graça, mas enfim...

quero muito ler esse livro! tô na fila, hein...

beijão!!!
saudades!

Ana Corina disse...

juzinha, acho que a parte do 'escrever' vc já está realizando... continua visualizando todo esse teu cenário perfeito e batalhando que mais hora, menos hora, ele chega! bjo