sábado, 26 de janeiro de 2008

sonho de criança


essa noite baixei quase um giga de torrent, e subi praticamente o mesmo. não tenho mais tv (tenho, mas tá sem antena e eu nem ligo), e assisto os seriados q adoro no micro, sem comercial, sem legenda pra atrapalhar, vários, um atrás do outro se calhar.

tenho um sítio onde posto as idéias mais toscas, ou nem tanto, q saem da minha caichola e pessoas do mundo inteiro lêem e deixam um recado (raramente, diga-se de passagem). vejo sítios do mundo inteiro e faço o mesmo. parece q conheço as pessoas, e creio poder criar amizades.

no natal, enviei um presente pra minha amiga secreta virtual na Holanda e recebi outro do Canadá.

tenho uma amiga da época da adolescência morando no Quebec q não via há anos, e através do seu sítio falo mais com ela do q com muita gente q mora aqui pertinho de mim.

a maioria dos artigos científicos q leio baixo do portal capes.

sei o q tem nas bibliotecas da UFSC,USP,Unicamp,Unisinos, Uniwhatever...

tudo o q eu cozinho pego a receita num portal de culinária qq (ou blog), depois de compará-la com inúmeras outras.

ligo pros amigos da Alemanha, do Japão sem custo algum, e ainda vejo a cara (amassada e escabelada) deles.

e muitas muitas outras delícias q me fazem não trocar esse tempo (1995-20??) por nenhum outro.

eu disse tudo isso só pra contar uma lembrança da minha infância:

qdo eu era pqn (menor), enquanto as crianças corriam com bolas eu ficava na biblioteca lendo, eu adorava ler e detestava esportes coletivos. eu devorava gibis e livros "grossos" q faziam meus amigos arrepiar, à noite eu assistia globo reporter pq queria aprender como as coisas eram (coitada, naquele tempo acreditava na globo), e eu lia enciclopédia amarradona(ok, chama de doente). além disso eu escrevia cartas pra várias pessoas, e não postava quase nada pq odiava ter q ir até o correio.

e eu imaginava muita coisa também, pensava sobre como seria o futuro e o q eu gostaria q existisse. eu lembro de estar na biblioteca sonhando: já pensou se de alguma forma eu pudesse ver os livros de todas bibliotecas sem ter q ir até elas? e se as pessoas pudessem compartilhar os livros e gibis q têm? e se todas enciclopédias fossem juntas numa coisa só? e se... e se... e se...

como eu sou feliz, os meus sonhos de infância se realizaram praticamente todos (falta saber 5 línguas e conhecer o mundo). eu amo a internet, o google, o gmail, a wikipedia, a blogosfera.

e qd estou em meio a estas maravilhas me sinto encantada como uma criança q ganhou um brinquedo, boquiaberta e fascinada, meio sem acreditar no qto tudo aquilo q eu julgava sonho era realmente possível.

meu significant other já me disse, há muito tempo, q ser feliz é ver o mundo com os olhos frescos de criança, se deixar encantar pelas coisas como se tudo fosse novo e especial. sábio menino.

"há duas formas para viver a sua vida:
uma é acreditar que não existe milagre.
a outra é acreditar que todas as coisas são um milagre" ( A. Einstein).

imagem: "Feel", by Telli Narcizo as acme labs ( o tal do menino sábio)

3 comentários:

Antonio Bitencourt disse...

Minha Rainha!

Sempre me emociono com seus textos...

A internet é realmente uma grande e maravilhosa ferramenta...

mas sinto falta do cheiro, do torque, da convivência das pessoas que amo!!!

Minha preocupação com a internet e todas as ferramentas presentes é limitarmos a esta relação e a este meio... que é fantástico!!!

Outro fato, que são poucos que tem acesso, ou seja, perdemos muitas maravilhas humanas que não estão presente neste meio...

Sei que isto não encaixa contigo...

Beijos...

Axé, Baraká, Namasté

ethelscliar disse...

Sim, sim, sim a todas as maravilhas maravilhosas que já existem e estão por vi. E a nossa eterna capacidade de continuar se maravilhando e se revoltando com as injustiças. Quem disse que a utopia não existe?
Saudades.
PS: Indo para o Canada... Chamada geral aos amigos da Bibi, se desejam mandar alguma coisa...

evipensieri disse...

Adorei o seu post.

Passai por aqui para conhecer e gostei muito.

Bjs.
Elvira