segunda-feira, 8 de outubro de 2007


eu não dirijo. até cheguei a tirar carteira, já tive um carro, mas me livrei de tudo. é minha incompreendida opção. começou sendo pânico, virou personalidade mesmo. o telli odeia pq é sempre ele o designated driver. entendo e até concordo, mas não dá. por isso (e outros), já disse que preciso morar num lugar grande suficiente para ter metrô, ou pequeno suficiente para ser percorrido à pé (não tenho bicicleta desde os 8 anos, e acho perigoso pedalar junto ao trânsito de floripa). ando por aí com minha mochilinha, encaro uns latões, e no findi o telli-móvel me carrega.

pois bem, em tempos de aquecimento global minha escolha é praticamente chiquérrima ( ontem meu sogro veio com uma de que aquecimento global é teoria da conspiração blábláblá deusmeperdoe), mas ainda incomoda muita gente, é vista como total fraqueza.

venho então conhecendo outras pessoas com a mesma opção: o pai de uma amiga minha que foi exilado político (pra mim isso é prova de caráter, pra minha família de semvergonhice); um professor que tive; e agora leio no blog de meirelles que o SARAMAGO não dirige. lindo, perfeito, tô em boa companhia.

eu sempre digo que talvez um dia eu dirija, mas por enquanto amo muito minha excentricidade. aliás, não entendo pq tanta gente acha isso excêntrico, por acaso a gente nasce com pneu ao invés de pé?

3 comentários:

walter stodieck disse...

Eu nasci com pneuzinho, tanto que quando bebê já tive que fazer natação para perder peso, hahahahahaha :D

Sergio e Marilena disse...

Interessante, eu quase sentia vergonha de dizer que não tinha carta de motorista e que nunca me interessei por dirigir. Vc se sente meio fora do mundo, todo fica admirado; é como se vc estivesse doente e não tomasse remedio.
Quando me casei fui morar super longe da casa da minha mãe e nos finais de semana levava duas horas pra ir e duas pra voltar de ônibus porque o meu marido apesar de ter carta não gostava de dirigir também e nao tinhamos carro.
Depois de 1 ano de sofrimento chegamos à conclusão de que carro era pra nós uma necessidade e então eu tirei a carta e compramos nosso carrinho.
Não sei bem o que aconteceu comigo mas hoje adoro dirigir, sou fominha pelo volante. Meu marido ainda não gosta muito mas tem dirigido bastante também.

Marilena

Alexandra disse...

Bom, tenho 36 anos e não tenho carteira de motorista. Até cheguei a tirar, com 21 anos, mas quem se anima a encarar o transito do Rio de Janeiro? Nunca mais dirigi e acabei vindo pro Canada, onde perdi a carteira, tenho que fazer os testes todos de novo e ainda não me animei... Não gosto de carro... me sinto meio presa dentro dele. Gosto muito mais de andar de onibus, trem, metro, bicicleta, a pé...