sábado, 4 de dezembro de 2010

16 dias de ativismo...

... pelo fim da violência contra as mulheres.

"Desde 1991, a Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres é realizada entre os dias 25 de novembro a 10 de dezembro, em 135 países, com o apoio da Organização das Nações Unidas (ONU). No Brasil, a campanha tem início mais cedo, em 20 de novembro, Dia da Consciência Negra. A inclusão da data tem o intuito de destacar a dupla discriminação sofrida pelas mulheres negras no Brasil." (Fonte: Sedese, mg.gov.br, vai lá q o texto continua e é bem interessante)


Já encontrei gente que acha o assunto ultrapassado, outros trivial, outros tabu. Tem gente q pensa q violência contra mulher é folclore, q é coisa de pobre, já li até o texto de um juiz q acha q é um direito do marido. Em geral, as pessoas pensam que estão acima do tópico.

Pessoalmente já comecei ficando chateada por ter penado tanto na rede pra encontrar qq coisa sobre a campanha. O vídeo abaixo ilustra bem o pq.



Fonte: POWA, via Sociological Images

Aqui no meu prédio já escutei sons como esse. Morávamos há menos de 1 mês aqui, e de início fiquei paralisada tentando entender o que estava acontecendo. Meu partner, q estava dormindo, pulou da cama correndo, passou por mim dizendo 'chama a polícia q eu vou lá'. Enquanto meus dedos tremiam e eu nem conseguia discar, ele saiu de pijama pelo corredor tentando identificar de onde vinha o som. Não conseguiu, e eu comecei a interfonar pro ap de cima de onde parecia vir o som (se eu chamasse a polícia sem saber d onde vinha, certamente não viriam, nisso tenho experiência), o som parou e ninguém atendeu. Interfonei pra portaria, e descobri q ninguém além da gente reportou ter ouvido qq coisa. Era muito alto, e muito horripilante, impossível q não tenham ouvido. O cara gritava 'tu provoca, tu provoca, sua filha da p#$%' e ela gritava desesperada. Desci e fiz um B.O. no livro do condomínio descrevendo tudo e colocando de onde parecia vir o som. E só. Ficou por isso. E todo mundo q eu conto sobre o B.O. me diz q eu não deveria ter feito isso, q o cara pode vir atrás de mim. the end, pelo menos por enquanto.

E vcs? Tem alguma coisa pra contar aqui?

Postem alguma coisa nos seus blogs pra ajudar os 16 dias.

3 comentários:

bibi move disse...

muito bom o vídeo Ju!
Na casa da minha mãe os vizinhos sempre se agrediam- ou ele agredia ela, sei lá eu.
Eu reclamei todas as vezes em que ouvi- mandei o segurança tocar a campainha- e ele se sentia muito desconfortável.
vemos sempre a mesma indiferença para a violência contra crianças.

Diogo disse...

Oi Ju!
"Retuitei" no meu blog!
Beijos com saudades!
Diogo

gestaltemcena.blogspot.com

Michele disse...

Sabe o que mais me incomoda nesses casos? É o uso indiscriminado dos jargões "em briga de marido e mulher ninguém mete a colher" ou coisas do gênero. É falaciosa, hipócrita e autoriza a violência doméstica.
O que eu não consigo entender é como as pessoas podem achar que a violência contra seu vizinho(a) não lhe diz respeito ou não o atinge.
Quando uma mulher é agredida, todas são.